Header Ads

Após se eleger deputado federal em SP, Alexandre Frota é detonado pelo filho e rebate

"Geração revoltadinha"


Neste último domingo (7) de eleições, Alexandre Frota surpreendeu ao se eleger deputado federal de São Paulo, com mais de 155 mil votos. Mas o que repercutiu na internet foram as declarações de seu filho, Mayã, de 18 anos, que se demostrou indignado com a eleição do pai e fez postagens polêmicas.


Através de suas redes sociais, Mayã declarou que estava desapontado de como seu pai, que já foi um ex-ator pornô, um ex-viciado em drogas, que queria que ele fosse abortado, acabou se tornando um deputado federal. A publicação só chegou a Frota por marcações, já que ele bloqueou o filho nas redes sociais. No Facebook, Frota postou um textão rebatendo o filho, que mora na Bélgica.

Foto: Twitter

Em declaração, Alexandre disse que com sua vitória, o filho resolveu atacá-lo, pois faz parte da "geração revoltadinha". “Não é fake. o Mayã resolveu me atacar com esse post, achando que vou ficar perturbado. Com 18 anos na cara prestes a fazer 19, faz parte dessa geração revoltadinha. Mayã Frota, vou te responder aqui, você realmente é o meu filho tanto que te registrei assim que nasceu e não pedi exame de DNA, mas você é filho de um ex-ator da Globo, pois quando nasceu eu era um dos galãs da época na TV Globo eu estava em ‘Malhação’”, diz o deputado eleito.

Em seguida, Frota acrescenta que o filho foi beneficiado quando ele fez filmes adultos, com roupa, comida e bebida. O ex-ator também alegou nunca ter negado seu vícios em drogas, mas que hoje está recuperado.

E por fim, afirmou que sempre foi contra o aborto, e continua sendo, e dispara: "Nunca quis te abortar". E cogita por qual motivo Mayã só se pronunciou sobre isso após a sua eleição, questionando-o por qual motivo ele não tinha perguntado sobre isso antes.



Em entrevista para a Revista QUEM, alguns anos atrás, Frota relatou que não aceita seu filho, por ter sido fruto de uma transa. E a declaração polêmica causou alvoroço na época, pela rejeição ao filho, que ele disse não conviver.